Reader Comments

textmachine escrita Escrito por quem entende

by Silveira da silva (2018-02-02)

In response to Quitoplan É Bom

aprender a escrever textos, como escrever textos academicos, aprender a escrever bons textos, textos para aprender a escrever, atividades para aprender a escrever textos

Aprenda a escrever textos em Francês. Este autor ainda ressalta que os atos de brincar, dramatizar, simbolizar são valiosos para desenvolvimento da alfabetização e devem ser desenvolvidos desde ensino infantil. A criança que tem liberdade para brincar, dramatizar, se expressar, com certeza terá um desenvolvimento mais saudável.

Também deverá procurar no dicionário todas aquelas palavras que não saiba como escrever ou que deixam na dúvida. dicionário Priberam da Língua Portuguesa, para além da sua edição em papel, tem uma versão online que lhe permite consultar através da internet todas as palavras que pretender. Além disso, neste website pode ainda consultar as diferenças entre português do Brasil e português de Portugal, através da ferramenta Flip online Deve ter isso em conta, apesar do acordo ortográfico entre os países lusófonos, ainda existem diferenças significativas na escrita dos vários países e principalmente nas expressões mais informais.

Mas eu queria mais, meus blogs tinham bastante conteúdo e estavam bem ranqueados nas pesquisas do Google , mas não convertiam bem em vendas, então comecei a contratar redatores profissionais como Victor Palandi. E textmachine hotmart Victor Palandi, que é um jovem de apenas 19 anos que já conta com 6 anos de experiência nesta área, decidiu reunir suas principais técnicas em um método que ele resolveu batizar com sugestivo nome de TextMachine.

As características do código ortográfico explicam a dificuldade maior - e, conseqüentemente, esforço e tempo maior - necessários para domínio ortográfico em crianças de diferentes línguas. No caso da leitura em Português e em Francês, por exemplo, a criança precisa de um número relativamente limitado de regras para ler e soletrar, e as irregularidades grafo-fonológicas são raras ou inexistentes. Nessas mesmas línguas, no entanto, a escrita é muito mais complexa e apresenta muito mais irregularidades (Scliar-Cabral, 2003). Esse assunto será retomado em maior profundidade mais adiante.textmachine hotmart

Dou ao filósofo argentino razão, de que existem bons e maus escritores, mas por outro lado sei das formalidades e frescuras de que se revestem as vias de acesso de certos jornais ou revistas que se julgam importantes demais e, como tais, exigem de um desconhecido escritor credenciais, apadrinhamentos ou cartas de recomendação para publicar uma matéria, mesmo que a reconheçam como boa, bem escrita e fundamentada. Isto, aliás, não é de hoje. Aconteceu no início de suas carreiras com grandes escritores e todos eles são unânimes em reconhecer que caminho do escritor é um caminho difícil, árduo e solitário. João Antonio (1937-1996), escritor paulista, depois de haver perdido num incêndio os manuscritos do seu primeiro livro, teve a paciência e a árdua tarefa de reescrevê-lo, encerrado numa biblioteca. E esta segunda versão, segundo ele, saiu melhor do que a primeira.

Se você está lendo esse texto, é porque já foi alfabetizado. A alternativa que tenho a propor é a de que conhecimento de todas as convenções da escrita penetra em nossa mente assim como a maior parte do nosso conhecimento da linguagem falada, e até do mundo em geral, sem consciência do aprendizado que está ocorrendo. A aprendizagem é inconsciente, sem esforço, acidental, indireta e essencialmente cooperativa. É acidental porque aprendemos quando aprender não é nossa principal intenção; indireta porque aprendemos através do que outra pessoa faz; e cooperativa porque aprendemos pela ajuda de outros para que alcancemos nossos próprios objetivos.

Na minha opinião, não existe uma fórmula mágica. Há algumas coisas que ajudam. Escrever bem está muito ligado à intimidade do autor com os livros. textmachine victor palandi melhor ensinamento vem da leitura, do aprimoramento das técnicas, da experiência, da prática do dia a dia, da criatividade e da inspiração.

Créditos: Heloisa Cerri Ramos Formação: Especialista em ensino da Língua Portuguesa, do Ensino Fundamental ao Médio, formadora do ensino Fundamental e Médio, assessora da área de Língua Portuguesa e de reorganização curricular, em escolas da rede pública e particular.textmachine funciona

Nessa concepção alfabetizar letrando significa orientar a criança em seu processo de aquisição do seu ato de ler e de escrever de forma a conduzi-la a uma convivência de práticas reais de leitura e de escrita utilizando os mais diversos gêneros textuais possíveis (livros, revistas, jornais, bulas de remédios, embalagens, etc.), pois estes são materiais de leitura e escrita, bem como levá-la a refletir sobre esses materiais escritos que circulam socialmente e que, se bem trabalhados podem criar um ambiente rico em aprendizagem.

Dessa forma uma experiência em que alguém lida com materiais variados de leitura e escrita, novos horizontes serão ampliados, serão reabertos os horizontes antes vislumbrados sem maiores observações e esse envolvimento, certamente, acrescentará muita riqueza às experiências de letramento do leitor. Precisamos nos enveredar por momentos, acontecimentos, 'causos', enfim por histórias que façam refletir sobre ato de ler e ato de escrever bem, que são atos que demandam preparação e prática, dessa forma essas ações fazem parte desse 'enveredamento' no mundo da palavra escrita, lembrando que que transforma uma pessoa não éaprender a ler e escrever: é fazer bom uso da leitura e da escrita. De acordo com Paulo Freire (l992), a compreensão do texto após sua leitura crítica implica a percepção das relações entre texto e contexto, a compreensão faz com que a leitura seja um momento crítico.

Existem leitores que faz leitura pelo simples fato de esta lendo, sem levar em conta prazer de ler para se deleitar na formulação de hipóteses. Fazem leitura de livros sem concentra nas palavras, na historia, no assunto, quando deixa livro não sabem fazer uma reflexão ou dialogar sobre que foi lido. A leitura usada desta forma não traz acréscimos ao leitor, se torna perda de tempo.

Como conhecer os alunos é um aspecto básico para a boa condução das aulas de Produção de Textos, a avaliação tem que ser diagnóstica, considerando que professor aprecia as reais possibilidades de enfrentar ou não as exigências dos estudos subseqüentes, organizando informações que possam ajudar os professores que irão receber esses alunos.

Durante a fase de textualização, utilizaram-se os instrumentos anteriormente mencionados (esquema e diagrama de Venn) onde se encontrava identificada e organizada a informação relativa a ideias importantes a incluir no texto informativo. Ideias que surgiram durante a planificação; geradas a partir da mobilização do conhecimento prévio dos alunos sobre golfinho e da reformulação de concepções alternativas que revelaram acerca de questões como a classe de pertença deste animal.

14) Para bem ou para mal jornalista é livre para escrever seu texto. Não existem, repito, regras ou fórmulas mágicas para se fazer lide, começar a matéria. Você tem que responder quem, quando, como, onde, quê, porquê, quanto, é isso tudo que leitor quer saber. Analise que for mais importante e mande ver. Chame a atenção e passe a informação.

Comece produzindo textos reflexivos sobre algum assunto que você domine. Se adora fazer trilhas, por exemplo, tente descrever que significa essa atividade para a sua vida; mas faça- de tal modo que, qualquer que porventura leia seu texto, respeite a sua relação com a trilha, porque compreendeu exatamente significado dela em sua vida. Aos poucos - e não levará muito tempo - essa atividade se tornará tão natural que também poderá se converter numa diversão.

Barbosa (1990) afirma ainda que é justamente esse postulado que está colocado em questão na atualidade: ler não é mais decodificar. A aprendizagem não se dá de maneira tão simples como prevê princípio aditivo.